[Compostela] Tatuagens pola liberdade

Difundimos a programaçom deste evento organizado no CSOA Escarnio e maldizer para os días 10, 11 e 12 de junho. Máis info na súa web

tattoofin.jpg

Tatuagens pola liberdade

Encerrar umha pessoa em poucos metros quadrados durante meses e anos. Controlá-lo, espiá-lo, humilhá-lo e privá-lo dos seus sentimentos. Sem dúvida o cárcere é umha forma de tortura. É por isso que mostramos o nosso apoio às pessoas que sofrem e luitam contra esta realidade. Os próximos dias 10, 11 e 12 de junho terá lugar o primeiro evento de “tatuagens pola liberdade”. Pretendemos que seja umha ferramenta de autogestom, onde através de palestras, exposiçons, tatuagens, espetáculos, concertos, etc, daremos a conhecer diferentes realidades onde a autoridade se impom, e também as possíveis resistências.

Falaremos sobre os cárceres galegos, sobre a militarizaçom das fronteiras e territórios, sobre o caso dxs 43 estudantes desaparecidxs em México, sobre mulher e prisom, presentaram-se publicaçons de informaçom crítica, assim como livros que tenhem a ver com a prisom. Haverá espetáculos e concertos e também tatuagens em apoio às presas em luita.

Até derrubar os muros das prisons e o mundo que as necessita!

Programaçom:

— 10 de Junho sexta-feira —

15:00 Abertura de portas para tatuagens

17:00 Palestra: Cárcere e Tatuagem. Etnoarqueologia, intrahistória e semiótica do tattoo e modificaçom corporal.
Como expresom cultural que ultrapassa os limites corporais e do entorno, a tatuagem constituiu um tradicional símbolo de marginalidade e exclusom ao longo da história. A pesar de ser, paradoxalmente, um aspeto netamente integrador em sociedades pre e protohistóricas, já desde a antiguidade romana ou quiçais antes se marca e estigmatiza a reos e escravos.
Palestra a cargo da revista Contrahistoria.

19:30 Atualidade da repressom nos cárceres

20:00 Teatro: Tortura branca a cargo de lumpens organizadxs

20:30 Atualizaçom do caso da morte de Diego Viña A cargo de Nais contra a impunidade

21:15 Apresentaçom do documental Anti-mulleres. Existir mal. A cargo da sua diretora Bea Saiáns
Um documentário no que várias mulheres falam, desde distintas situaçons, sobre umha mesma realidade: como afeta o cárcere a umha presa, a sua nai ou o seu futuro.

22:00 Ceador

22:45 Espetáculo Corazom represivo a cargo de As tres nebrosas

23:30 Grande Foliada

00:45 Pinchada a cargo de La sinsereza

— 11 de Junho sábado —

12:00 Abertura de portas para tatuagens

14:30 Jantar e sessom vermu amenizada por dj palmer

17:00 Palestra: Ayotzinapa, crime de Estado
Apresentaçom do caso dxs 43 estudantes desaparecidxs de Ayotzinapa (México) dacordo ao reporte do grupo de expertos independentes da Comissom Internacional de Direitos Humanos
A cargo de Víctor Jáquez

19:00 Palestra: Militarizaçom do território, militarizaçom das fronteiras: Análise, experiências, propostas de luitas e resistências antimilitaristas
Há cada vez mais militares patrulhando as ruas das cidades de Ocidente, graças também a “catástrofes” ou através de estados de emergência e a raíz de supostas ameaças terroristas. Mentres tanto, os agentes de policia parecem-se cada vez mais aos membros das unidades especiais das forças armadas, tanto polas suas armas como polo adestramento e as suas táticas. O Poder prepara-se constantemente para os novos cenários da guerra interna, é dizer, a guerra de classes, e os seus esforços nesta direçom estam-se notando paralelamente em distintos países. Sem embargo, também estám surgindo experiências de resistência a esta militarizaçom das nossas vidas.

22:00 Ceador

23:00 Concertos: De lombaos,
Menina arroutada
Grupo sorpresa
e pinchada de raggajungle
a cargo de Sr Moure aka Dj Webo

— 12 de Junho domingo —

12:00 Abertura de portas para tatuagens e anilhadora

14:00 Jantar e sessiom vermute amenizada por Porcas bravas e Airinhos de estrume

17:00 Rolda de apresentaçom de publicaçoms:
· Diários de Carlos Calvo Varela, Os textos que nos entrega neste livro som como estouros de estalitroques, como a vaca-loura diante da escavadora, como um quero-te na ponta da língua, como pegadas de urso no Courel. Som palavras criadoras. Em 2012 foi detido acusado de “terrorismo” e desde então está preso, tendo passado por sete cárceres diferentes, todos situados fora da Galiza. Em todos eles nunca deixou de enviar cartas cheias de vida, cores e letras
· O teito é de pedra editado por Ceivar, Baseado nas experiências pessoais dos ativistas encarcerados nos últimos anos, o livro descreve as condiçons de vida às que se enfrentam os independentistas nas prisons espanholas.
· Abordaxe!, Projeto anarquista galego de comunicaçom e informaçom crítica dedicada à difusom das ideias e práticas libertárias.
· Revista Contrahistoria nº9, Umha revista que rescata episódios históricos desde umha perspetiva crítica e anticapitalista. No seu noveno número, entre outros conteúdos: ‘Arde Barcelona. A Semana Trágica e o prelúdio da revolución’. ‘Vermelho sangue na Union Jack. Balas británicas sobre o Derry Livre’.
· Intransferências de Hadriam Mosquera `Senlheiro´
· Distribuidora anarquista Polaris. um projeto de distribuiçom anticomercial de fanzines, panfletos e outros materiais que som afins ou transversais à luita antiautoritária

20:30 Concertos: Folkolicos e Pan de capazo

Advertisements

Deixar unha resposta

introduce os teu datos ou preme nunha das iconas:

Logotipo de WordPress.com

Estás a comentar desde a túa conta de WordPress.com. Sair / Cambiar )

Twitter picture

Estás a comentar desde a túa conta de Twitter. Sair / Cambiar )

Facebook photo

Estás a comentar desde a túa conta de Facebook. Sair / Cambiar )

Google+ photo

Estás a comentar desde a túa conta de Google+. Sair / Cambiar )

Conectando a %s

%d bloggers like this: