Depois do arquivo do Pandora 2 agora a Audiência Nazional determina o arquivo provisório do Pandora 1

Como se dumha sucessom de desprópositos em cadea se tratara, a Audiência Nazional democrática espanhola (legítima herdeira do Tribunal da Ordem Pública franquista), vem de assinar o auto de arquivo deste caso, se bem índa é possível que a Fiscalia recorra tal decissom, polo que nom se pode falar de arquivo definitivo.

Em 16 de dezembro de 2014 os Mossos d’Esquadra detiveram 11 pessoas nas cidades de Barcelona e Manresa, além de realizar 14 registros em vivendas, casas okupadas e ateneos libertários. A consequência de tal despregue político-judicial-policial, 7 das detidas se passaram um mês no cárcere e houvera que abonar uns 3000 € de fiança para que poideram sair. Além e desde o momento da sua posta em liberdade provisória todas essas compas sofreram medidas cautelares durante mais de 2 anos.

Depois do arquivo de ambas operaçons Pandora 1 e Pandora 2, índa ficam judicializadas as compas do chamado caso Pinhata, das que várias compas seguem com a sua decisom de desobedecer a Audiência Nazional e já levam 2 meses sem acodir aos julgados a assinar.

Segundo apontam, mesmo falsimédios de pouco prestígio, a juíza Carmen Lamela acusou aos Mossos d’esquadra de nom ter sido quem de aportar provas concluintes pese ao enorme despregue, aos 3 anos transcorridos e a publicidade que se deu a tal operaçom. No auto publicado ontem martes, nada do atribuido polos Mossos e o juíz Javier Gómez Bermúdez contra as 11 detidas pode demonstrar-se. Únicamente poideram evidenciar «que as investigadas se relacionam com pessoas do coletivo anarquista» mas isso resulta que nom é ilegal (de momento)- A magistrada sostém que «pese aos diversos teléfones intervidos e informes de todo tipo que foram recabados» nom se pode concluir nenhum tipo de delito. Menos ainda que as 11 detidas «poideram estar realizando determinadas atividades no seno de movimentos anarquistas ou grupos terroristas». Tampouco paresce que tirarmam nada de proveito do descifrado das computadoras e discos rígidos incautados polos Mossos.

Ou seja que se confirma, umha vez mais, a montagem jurídica-policial-política contra o Anarquismo combativo.

Bem-vinda seja a notícia, mas nom esqueçamos que índa ficam por estar livres de todo cárrego as compas envolvidas na montagem da Operaçom Pinhata

——————————–
Tirado da informaçom publicada ontem no blogue “Colze a Colze” e dalgum falsimédio que recolhe partes do auto da juíza.

Fonte: O gajeiro na gávea

Advertisements

Deixar unha resposta

introduce os teu datos ou preme nunha das iconas:

Logotipo de WordPress.com

Estás a comentar desde a túa conta de WordPress.com. Sair / Cambiar )

Twitter picture

Estás a comentar desde a túa conta de Twitter. Sair / Cambiar )

Facebook photo

Estás a comentar desde a túa conta de Facebook. Sair / Cambiar )

Google+ photo

Estás a comentar desde a túa conta de Google+. Sair / Cambiar )

Conectando a %s

%d bloggers like this: