Anarquistas anunciam nova formação em Rojava para avançar na Revolução

anunciamos a formação das Forças Revolucionárias Internacionais de Guerrilha Popular, um grupo de militantes explicitamente anarquista em Rojava que busca defender a Revolução e avançar nas causas do anarquismo.

O papel das IRPGF

As Forças Revolucionárias Internacionais de Guerrilha Popular (IRPGF, sua sigla em inglês) é um coletivo horizontal e auto-organizado de militantes armados trabalhando para defender revoluções sociais ao redor do mundo, para confrontar diretamente o capital e o Estado, e avançar na causa anarquista. Nós reconhecemos e afirmamos que ações de princípios necessitam de políticas de princípios. Não somos um partido político ou plataforma mas um coletivo armado comprometido com camaradas de diferentes posicionamentos anarquistas. A unidade de coletivos das IRPGF se manifesta na prática de ações militantes que consideramos pré-requisitos para alcançar a libertação. Nosso papel é duplo; ser uma força armada capaz de defender revoluç&otil de;es sociais libertadoras ao redor do mundo e ao mesmo tempo ser uma força capaz de insurreição e luta contra as formas de poder kiriárquicas seja lá onde existirem.

Por preservar nossa autonomia como um coletivo, não adentramos zonas de conflito com a intenção de comandar, mas de lutar conjuntamente a outros grupos armados em solidariedade com aqueles que são oprimidos, explorados e que estão enfrentando a aniquilação. As IRPGF acredita que ação coletiva, a solidariedade e a unidade são necessárias à luta. A solidariedade internacional é a arma mais poderosa para os oprimidos. Ao mesmo tempo nós mantemos a necessidade de crítica quando e onde fo r apropriada. (Auto) Crítica não é algo a se temer. É algo a se abraçar como uma fonte constante da energia que move indivíduos, comunidades e movimentos revolucionários no sentido de alcançar a libertação.

A necessidade da luta armada

Dentro dos movimentos de libertação existe um enorme abismo entre aqueles que empregam meios pacíficos para enfrentar o inimigo e aqueles que defendem a si mesmos e as suas comunidades por meio da luta armada. Essas posições dicotômicas possuem nelas próprias uma rede interseccional de posições sociais e identidades que revelam sua localização, contexto e conteúdo. Para as IRPGF, métodos pacíficos são incapazes de confrontar e destruir o Estado, o capitalismo e todas as formas de poder kiriárquico. De fato, eles fazem o oposto. Esses métodos protegem, enc orajam e fortalecem o inimigo, fazendo-o aprimorar cada vez mais as formas de opressão contra indivíduos isolados e sociedades divididas. Acreditamos que nossa libertação brota do cano de uma arma.</ p>

Insurreições armadas e rebeliões ao redor do mundo acontecerão até o fim. Nós lutamos em defesa da vida e lutamos pela libertação total. O estado-nação, a autoridade, o Capital e a hierarquia social são inimigos de um mundo liberto e por isso inimigos de todos nós. Enquanto nós lutamos por meio da autocrítica e de críticas coletivas às nossas internalizações pessoais e coletivas de comportamentos, atitudes e práticas opressivas, os inimigos externos; os patrões com seus exércitos e polícia, devem ser confrontados com ba las, bombas e dinamites.

As chamas da justiça e da liberdade estão limpando e consumindo tudo. Para nós, não há passo atrás e nenhum modo de alcançar a libertação a não ser por meio da luta. Nossas comunidades só serão libertadas quando destruirmos esses poucos cujos poder e riqueza dependem do sofrimento e da exploração de muitos.

O senhor não dá a liberdade ao escravo simplesmente por um ato ético de piedade, altruísmo e amor. Os escravos devem alcançar sua liberdade através da insurreição, da resistência e da revolução, utilizando todas as ferramentas do senhor para destruir ao mesmo tempo ele e os seus mecanismos e aparatos de dominação e opressão.

O domínio da tirania e suas correntes de repressão não pode resistir à insurreição dos oprimidos. Nós ansiamos pelo dia em que as espadas se tornarão enxadas, mas até esse dia chegar, se é que chegará, nós agarraremos nossas armas. A existência das IRPGF se deve à necessidade da luta armada. Quando não for mais necessária, deixarão de existir. Nossa posição é contrária a noção de “exércitos permanentes” ou grupos revolucionários calcificados que se tornam estados insulares para si mesmos.

A posição internacional das IRPGFs

Nós acreditamos que a Terceira Guerra Mundial já começou e que os conflitos na Síria, Ucrânia e em outras partes do mundo são apenas o começo. O sistema capitalista, aproximando-se de seu fim e tendo saqueado o mundo e despojado de seus recursos, enfrenta sua maior crise até hoje. Sem população excedente de trabalhadores para colocar em suas masmorras e linhas de produção, os antagonismos e as contradições do sistema em crise estão se revelando. Com poderes imperialistas lutando pelos últimos restos para garantir seus estilos de vida e com o fascismo em ascens&a tilde;o, uma luta comum está se desenvolvendo contra ambas as dominações do Capital e do Estado. As IRPGF se levantarão com todos os povos buscando assegurar seus futuros livres de TODAS as formas de opress ão, dominação e exploração. Estamos cientes e reconhecemos a interseção de identidades únicas e de particularidades que existem nos indivíduos, nas comunidades e entre os indivíduos e as comunidades. Nós apoiamos e buscamos perceber inteiramente a natureza polimórfica da luta e da identidade humana. Com esse objetivo nós nos juntamos aos povos ao redor do mundo em suas particularidades, e nas nossas, para realizarmos nossa libertação coletiva.

COMUNIDADES E COLETIVOS HORIZONTAIS DE MILITÂNCIA AUTO-ORGANIZADA PELA REVOLUÇÃO E ANARQUISMO!

IRPGF

Para acessar nosso texto de anúncio na íntegra e se manter atualizado com nossas ações recentes, visite-nos no @IRPGF no Twitter e IRPGF no Facebook. Você também pode conferir nosso anúncio completo neste vídeo:

Fonte: itsgoingdown.org

Tradução: Agência de Notícias Anarquistas-ANA

Advertisements

Deixar unha resposta

introduce os teu datos ou preme nunha das iconas:

Logotipo de WordPress.com

Estás a comentar desde a túa conta de WordPress.com. Sair / Cambiar )

Twitter picture

Estás a comentar desde a túa conta de Twitter. Sair / Cambiar )

Facebook photo

Estás a comentar desde a túa conta de Facebook. Sair / Cambiar )

Google+ photo

Estás a comentar desde a túa conta de Google+. Sair / Cambiar )

Conectando a %s

%d bloggers like this: