O Conselho Executivo da União das Comunidades Kurdas lança declaração sobre tentativa de golpe na Turquia

Traduzido pela RIA, texto original no Kurdish Question

mw-860

A declaração diz: “houve uma tentativa de golpe por pessoas cuja identidade e propósito ainda não está claro. Essa tentativa acontece logo antes de uma reunião do conselho militar, onde supostamente o presidente Recep Tayyip Erdoğan iria empoderar generais próximos a ele na cadeia de comando do exército. Outra dimensão chocante da tentativa de golpe é que vem justamente quando acontecem discussões sobre a política externa fascista do governo do AKP.”

A tentativa de golpe é prova da falta de democracia

A declaração do KCK diz: “não importa dentro de quais fatores políticos internos ou externos, e por quais razões essa luta por poder foi travada, tal caso não é uma questão de defender ou ser contra a democracia. Pelo contrário, essa situação é a prova da falta de democracia na Turquia. Essas lutas por poder e tentativas de tomadas de poder são testemunhadass em países não-democráticos onde um poder autoritário realiza tentativas de golpe para derrubar outro poder autoritário quando as condições são propícias. Foi isso que aconteceu na Turquia.”

Um golpe foi encenado em 7 de Junho

Um ano atrás, Erdogan e a Palace Gladio (força secreta de Erdogan), junto com o Partido do Movimento Nacionalista (MHP), todos os círculos fascistas, poderes militares nacionalistas (Ergenekon) e parte do exército, encenaram um golpe. Esse foi um golpe contra a vontade democrática do povo (que votou no HDP e impediu o AKP de ter a maioria). O fascismo do AKP (Partido da Justiça e Desenvolvimento, de Erdogan) fez uma aliança com todos os poderes fascistas e parte do exército incluindo o chefe de gabinete para suprimir o Movimento de Libertação Curda e as forças democráticas. O fascismo do AKP levou o exército até as cidades e aldeias curdas, os fez queimar cidades até o chão e massacrou centenas de civis. Recentemente aprovou novas leis que deram imunidade às forças do Estado, prevenindo julgamentos por crimes que cometeram. De tal forma o AKP tornou-se um governo que legitimou e tornou legal a tutela militar sobre a política democrática e a sociedade.

Tentativa de golpe de uma facção militar contra outra

Já existia a tutela militar na Turquia antes da tentativa de golpe; o que faz com que a tentativa de golpe de ontem ser um golpe de uma facção militar sobre outra já existente. É por isso que uma parte dos militares tomou o lado de Erdoğan, porque já existe tutela militar na Turquia.

O fato de que o MHP e círculos chauvinistas nacionalistas tomaram o lado de Erdogan e todos seus aliados fascistas revela claramente que isto não é um incidente de luta entre aqueles aliados com a democracia e aqueles contra ela.

Retratar Erdogan como democrático é perigoso

Retratar Erdogan e a ditadura fascista do AKP como se fossem democráticos depois dessa tentativa de golpe é um caminho ainda mais perigoso que o golpe em si. Retratar a luta por poder entre forças autoritárias, despóticas e anti-democráticas como uma luta entre apoiadores e inimigos da democracia servirá apenas para legitimizar o atual governo fascista e déspota.

Forças democráticas não tomam o lado de nenhum campo

A Turquia não possui um grupo civil no poder, nem isso é uma luta entre forças democráticas e golpistas. A atual luta é sobre quem comandará o atual sistema político, que é inimigo da democracia e do povo curdo. Portanto, forças democráticas não tomam o lado de nenhum desses campos nesses confrontos.

O golpe contra a democracia é aquele realizado pelo AKP fascista

Se existe um golpe contra a democracia, é aquele realizado pelo governo fascista do AKP. O controle do poder político sobre o judiciário, a implementação de leis fascistas e políticas através de uma maioria parlamentar, a remoção da imunidade dos parlamentares, a prisão de co-prefeitos, a remoção de co-prefeitos de suas posições, e a prisão de milhares de políticos do HDP e DBP constituem mais do que um golpe. O povo curdo está, de forma sem precedentes, sob ataques no Curdistão de forma genocida, colonial e fascista.

AKP está arrastando a Turquia à conflitos

O que levou a Turquia a este estágio é o governo do AKP, que se transformou em um governo de guerra contra o povo curdo e as forças da democracia. Com sua característica monística, hegemônica e anti-democrática, manteve a Turquia em caos e conflito. Com sua guerra contra o povo curdo e as forças da democracia, manteve a Turquia em um estado de guerra civil. A última tentiva de golpe demonstra que a Turquia necessita se livrar do governo fascista do AKP e ter um governo democrático. Os recentes desenvolvimentos tornam urgente para a Turquia democratizar-se e se livrar de seu governo monista, hegemômico e fascista.

Para concluir, as forças da democracia deveriam confrontar a legitimização das políticas fascistas do AKP sob o disfarce da democracia, e criar uma aliança democrática que verdadeiramente irá democratizar a Turquia. Essa tentativa de golpe torna necessário para nós não desacelerar a luta contra o fascismo do AKP e sim para reforçar tal luta para que o caos e o conflito na Turquia chegue ao fim e que surja uma nova e democrática Turquia.

Advertisements

Deixar unha resposta

introduce os teu datos ou preme nunha das iconas:

Logotipo de WordPress.com

Estás a comentar desde a túa conta de WordPress.com. Sair / Cambiar )

Twitter picture

Estás a comentar desde a túa conta de Twitter. Sair / Cambiar )

Facebook photo

Estás a comentar desde a túa conta de Facebook. Sair / Cambiar )

Google+ photo

Estás a comentar desde a túa conta de Google+. Sair / Cambiar )

Conectando a %s

%d bloggers like this: