[Grécia] Suicídio de Mohamed Nadím no centro de reclusão de imigrantes Amygdaleza

Não foi quem Syriza de evitar esta morte inducida nem de outras dois mais também recéns. Notanto de ir-nos enterando de como o novo governo grego vai baixando as suas pretensões de zafar-se da deveda económica, tamém imos sabendo da sua nula vontade de mudar nada no tema repressivo e de ai estas consequências: Tres novos Assassinatos Inducidos do governo grego, desta vez por obra e graça dos apaga lumes de Syriza, o espelho no que se mira Podemos (do que tampouco agardamos que, no caso hipotético de chegar a governar, mude nadinha no tema repressivo; só há que ver como se pom “El Coletas” cada vez que lhe falam de que apoiou a um coletivo antirepressivo basco que busca o achegamento a Euskadi dxs presxs da ETA).
20809-Gru00E9cia
Depois desta nossa introdução (*), colamos a informação que nos facilita a ANA (tradução do Verba Volant):

Na sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015, às 20h, um imigrante paquistanês suicidou-se no centro de reclusão para imigrantes de Amygdaleza. Com 28 anos Mohamed Nadím estava a mais de um ano e meio preso quando se informou de que sua reclusão foi prolongada por outros seis meses (chegaria aos vinte e quatro meses no total), apesar de que a lei proíbe a reclusão dos imigrantes por mais de dezoito meses em qualquer centro de reclusão.

Esta é a terceira morte de um imigrante preso durante os últimos dias. Há poucos dias outro imigrante falecera em outro centro de reclusão sob circunstâncias pouco claras, enquanto que a semana passada um imigrante afegão morrera de tuberculose dentro do mesmo centro de reclusão. Nestes modernos campos de concentração milhares de imigrantes estão congestionados dentro de contêineres, as condições de higiene são péssimas e a atenção médica é inexistente.

Pouco mais de uma hora após o assassinato de Mohamed Nadím centenas de imigrantes foram à sua cela, violando as regras penitenciárias que proíbem o deslocamento dos reclusos de seu setor durante quase todo o dia. Os imigrantes permaneceram muitas horas na cela de Nadím, negando-se a entregar seu cadáver à Polícia, e exigindo o fechamento do centro de reclusão.

Logo chegaram à Amygdaleza forças da chamada Polícia antidistúrbios. Os policiais, no entanto, não entraram no centro de reclusão, permanecendo durante muitas horas fora do recinto, aguardando ordens para reprimir qualquer tentativa de realização de um motim dentro do centro de reclusão, assim como qualquer manifestação combativa fora dele.

Em sábado, 14 de fevereiro, às 10h, realizou-se uma concentração em Amygdaleza contra o funcionamento dos centros de concentração-reclusão para imigrantes, com a participação de poucas pessoas.

…………..

(*) Introdução da notícia para Abordaxe x Tancredo Tantonto

Unha resposta to “[Grécia] Suicídio de Mohamed Nadím no centro de reclusão de imigrantes Amygdaleza”

  1. […] só uns dias falaramos neste blogue do assassinato inducido de Mohamed Nadím no centro de reclusão de imigrantes de Amygdaleza , […]

Deixar unha resposta

introduce os teu datos ou preme nunha das iconas:

Logotipo de WordPress.com

Estás a comentar desde a túa conta de WordPress.com. Sair /  Cambiar )

Google photo

Estás a comentar desde a túa conta de Google. Sair /  Cambiar )

Twitter picture

Estás a comentar desde a túa conta de Twitter. Sair /  Cambiar )

Facebook photo

Estás a comentar desde a túa conta de Facebook. Sair /  Cambiar )

Conectando a %s

A %d blogueros les gusta esto: